10.11.09

5 comentários:

uminuto disse...

do ventre da mãe natureza, a beleza veste-se para ti
um beijo

carlosré disse...

para nós
um beijo

pin gente disse...

por vezes tenho medo, mãe!
este espaço era quente e o teu colo levava-me a todo o lado mas obrigaram-me a sair
recebeste-me noutro colo, igualmente teu
continuaste a falar-me ao ouvido, a embalar-me o sono mas cresceu-me um medo, mãe!
agora o espaço é vasto. há tantas coisas belas. distingo a luz, a noite, o dia. aprendi a ver e a observar. apanhei os dedos e aos poucos segui. agora já falo, como tu. deparo-me com um mundo tão crú!
como dizes, parece que cresci!
mas tenho medo de me afastar de ti!


lindas as imagens, carlos!

carlosré disse...

Só encontro uma ternura imensa (e há muito que isso não acontecia) nas tuas palavras Pin! é um roçar de pele entre duas entidades unas.
São os eternos medos mesmo quando crescemos e adultos somos.
Fizes-te-me sentir uma vontade imensa de mergulhar nesse/neste amniótico ambiente.

Lindas as palavras Luisa

Helena Paixão disse...

Fotos executadas com uma técnica excelente; conjunto harmonioso; apresentação fabulosa. Quem sabe, sabe!

Bjs